Milagre o Testemunho da Verdade

quarta-feira, 24 de junho de 2015

VISÃO DE UM BISPO: O TERÇO ACABARÁ COM O BOKO HARAM NA NIGÉRIA



Após visão de Cristo, Bispo diz que Rosário vencerá o grupo terrorista Boko Haram


cdktgviwgaa0jhj
Roma, Itália, Abr 21, 2015 / 02:44 am (CNA/EWTN News).- Um bispo nigeriano diz ter visto o Cristo em uma visão e agora sabe que o rosário é a chave para livrar o país da organização terrorista islâmica Boko Haram.
Bispo Oliver Dashe Doeme diz que está sendo conduzido por um mandato divino para levar out
ros a rezarem o Santo Rosário até que o grupo extremista desapareça.
“No final do ano passado, eu estava em minha capela diante do Santíssimo Sacramento … rezando o rosário, e, de repente, o Senhor apareceu”, disse bispo Dashe à CNA.

Na visão, o prelado disse que Jesus não falou nada no começo, mas estendeu uma espada em sua direção, e ele por sua vez, estendeu sua mão para ela.

“Assim que eu recebi a espada, ela se transformou em um Terço”, disse o bispo, acrescentando que Jesus, então, disse-lhe três vezes: “Boko Haram desapareceu!”

“Eu não preciso de nenhum profeta para me dar a explicação”, disse ele. “Ficou claro que, com o Rosário seria capaz de expulsar o Boko Haram.”

O bispo disse que não queria contar a ninguém, mas “sentiu que o Espírito Santo o induzia a fazê-lo.”

Ele começou como sacerdote em sua diocese, e, em seguida, disse aos participantes no 17-19 abril #WeAreN2015 congresso em Madrid, Espanha. O evento está sendo patrocinado pelos grupos de irmãos católicos espanhóis hazteoir.org e CitizenGo para reunir idéias sobre como preservar a presença cristã nos países onde são mais perseguidos.

O bispo Dashe conduz a Diocese de Maiduguri, no nordeste do Estado de Borno na Nigéria. Em 2009, havia cerca de 125 mil católicos sob a sua orientação. Depois de uma onda de violência do grupo extremista islâmico chamado Boko Haram, hoje “há apenas 50 a 60mil restantes”, disse ele.

A maioria dos que fugiram procuraram áreas mais seguras em outras partes da Nigéria, disse ele. Algumas dessas mesmas famílias agora estão voltando para suas casas como forças armadas da Nigéria, Chade e Camarões.

Em 2014, o Boko Haram se tornou conhecido em todo o mundo, quando seus membros sequestraram cerca de 300 meninas de uma escola no Estado de Borno. Em 7 março de 2015, cinco homens-bomba mataram 54 e feriram quase três vezes mais na cidade capital da Maidaguri, onde o bispo vive e trabalha.

O grupo já matou mil pessoas em toda a Nigéria nos primeiros três meses de 2015, de acordo com a Human Rights Watch, que relata que mais de 6 mil morreram em violências causadas pelo Boko Haram desde 2009.

Apenas no mês passado, o grupo se uniu ao ISIS – também conhecido como o Estado Islâmico – que lançou uma campanha sangrenta no Iraque e na Síria no último verão.

Enquanto isso, o bispo Dashe acaba de concluir um “tour de consolação” para as comunidades em sua diocese, promovendo perdão e fé contínua. Ele acredita que foi chamado por Jesus para difundir a devoção ao Rosário, a fim de ajudá-los a fazerem o mesmo.

“Talvez seja este o motivo dEle ter feito isso”, disse o bispo, referindo-se a Jesus em sua visão.

O bispo Dashe disse que ele tem uma forte devoção à mãe de Cristo, e que “Nunca brinco com a ‘Mamma Maria.’ Eu sei que ela está aqui com a gente.”

E ele não é o único bispo nigeriano a colocar o futuro do país nas mãos de Maria. A conferência do bispos da NifBISHOgéria consagrou o país a ela duas vezes nos últimos anos.

O bispo Dashe acredita que um dia sua diocese vai estar completamente recuperada e crescerá graças à sua intercessão.

“Esses terroristas … acham que pela queima de nossas igrejas, queimando as nossas estruturas, eles vão destruir o Cristianismo. Nunca!”, disse o bispo Dashe à várias centenas de pessoas do estrado no congresso #WeAreN2015.

“Pode demorar alguns meses ou alguns anos… mas ‘Boko Haram desapareceu!’”

Mais tarde, ele disse à CNA que “a oração, especialmente a oração do Rosário, é (o que) nos livrará das garras desse demônio, o demônio do terrorismo. E, claro, ele está trabalhando. ”

segunda-feira, 22 de junho de 2015

A morada de Deus entre nós iniciou-se com Maria


A morada de Deus entre nós iniciou-se com Maria, por isso nós precisamos reconhecer a importância de Nossa Senhora no plano e nos desígnios salvíficos de Deus.
Pois aqueles que Deus contemplou com seu amor desde sempre, a esses ele predestinou a serem conformes à imagem de seu Filho, para que este seja o primogênito numa multidão de irmãos” (Romanos 8, 29).
A a Natividade de Nossa Senhora, o dia do nascimento da Virgem Maria. O nascimento tão importante, como é o de cada um de nós; fazemos festa, celebramos, comemoramos. Nós queremos celebrar o nascimento da Mãe de Jesus e Mãe nossa!
Nós precisamos reconhecer a importância de Maria no plano e nos desígnios salvíficos de Deus. A leitura que ouvimos na Carta de Paulo aos Romanos, uma das opções da primeira leitura para a Missa de hoje, nos diz justamente isso: aqueles a quem Deus amou desde sempre, a esses Ele predestinou a serem conforme à imagem do Seu Filho Jesus.
Precisamos entender “predestinação” no sentido universal da palavra. Todos nós somos predestinados à salvação, chamados por Deus para ser salvos. Mas há também o significado de predestinação como escolha. Sim, Deus escolhe alguns para que sejam cooperadores, colaboradores d’Ele no plano da salvação. Ainda que todos nós sejamos chamados a colaborar, há aqueles que, de um modo mais direto, contribuem mais incisiva e plenamente com toda a sua vida no processo de salvação da humanidade.
Maria assume um plano, ou melhor, um plano singular nos desígnios de Deus. Ela foi escolhida no coração do Pai, pensada por Ele desde o momento do pecado e da queda dos nossos pais [Adão e Eva] no paraíso. A ela foi destinado o papel de ser a nova mulher, a nova Eva, aquela que seria a Mãe do Filho de Deus, o Salvador de toda a humanidade. A escolha de Maria é dom gratuito e amoroso de Deus; foi Ele que a amou, foi Ele que a escolheu, que a chamou!
Algumas pessoas, por preconceito, por visões erradas, por mentalidades distorcidas, têm muita dificuldade para amar Maria. Deixe-me dizer uma coisa a você: não tenha medo de amá-la. Assim como o anjo disse a José: “não tenha medo de receber Maria como sua esposa”, eu digo agora a você: não tenha medo de amar Maria, pois quem a amou primeiro foi Deus. Se Deus a amou muito, nós não podemos amá-la pouco!
Fonte: http://homilia.cancaonova.com/homilia/a-morada-de-deus-entre-nos-iniciou-se-com-maria/

sábado, 20 de junho de 2015

Nenhuma criatura amou mais a Deus do que Maria

Aprenda protestante, a mãe de Jesus foi predestinada a amar. Ninguem amou mais a Deus  do que Maria, parem de se achar melhor e mais fiel a Deus do que aquela que é espelho da divindade. Ela é o modelo do amor e apesar de seu ódio ela te ama.

A predestinação com que a Santíssima Virgem foi eleita é especial, única entre todas, não somente pelo grau, mas pelo gênero. Se Maria é, na verdade, a primeira criatura predestinada como a mais perfeita imagem de seu Filho é, além disso e a outro título, a única predestinada em qualidade de Mãe sua.



Mas se queres amar mais a Deus, aprenda com Maria. Quanto mais somos obdientes a Deus mais ligados a ele estamos e quanto mais o amamos mais a ele conhecemos, aprenda com a escrava do Senhor, que é aquela que como o escravo toda a gloria e poderes que a ele é concedido, esse poder vem do seu Senhor. não importa quantas honras se dar ao escravo toda a gloria irar para aquele a quem lhe concedeu. Não pensas que honrando a mãe desonrara ao filho, pois quem honra o filho honra o pai, mas quem honra a mãe honra tanto o pai como o filho, se tratamos com amor a quem da família de Deus pertence, é por honrar e amar muito mais a Deus. mas se com desprezo tratamos os que da parte de Deus nos é dado, é com desprezo que tratamos aquele que nós deu.

Na faculdade do amor dado ao filho de Deus, na faculdade da obediência a Deus, na faculdade dos que a Deus foi um instrumento ninguém foi maior do que Maria, se todos os  profetas, ninguém foi maior do que João Batista por preparar o caminho do Senhor, muito mais é o instrumento Maria, que ela é o caminho a porta a onde o céu entrou, a onde o céu habitou, a onde o verbo foi gerado, amamentado, educado, cuidado, amado, e trinta anos aos cuidados do amor materno esteve e apenas três anos dela saiu ao mundo salvar, não se pode medir o infinito, não se pode medir o instrumento  e os méritos dela da Santa Maria que são unidos ao de seu filho.

Nossa Senhora ninguém foi, e ninguém é mais cheia da graça de Deus como Maria, a maior graça de Deus ao mundo vim foi e é Jesus Cristo, e nela ele se instalou, nela o Espirito Santo habitou como ninguém, nela a sombra do altíssimo a cobriu, nela os anjos a veneram como Rainha Ave cheia de Deus (graça).

Olha nenhum protestante tem dificuldade de entender que o minimo do apocalipse de São João, é Jesus, porem qual é a dificuldade deles de entender a segunda conclusão que a mulher revestida de sol tendo sobre os seus pés a lua, qual a dificuldade deles de entender que São João Apostolo aquele que Jesus disse mulher eis aí teu filho, discípulo es aí tua mãe, qual a dificuldade deles de compreender a segunda conclusão que é de Maria que São João estar falando. Ela é a lua, a escrava do senhor que só faz a vontade de Deus, a mulher do apocalipse não é a Igreja, a Igreja são os descendentes, a Mulher não é Israel,  Israel seria os descendentes se não tiveste matado o filho de Deus, os descendentes são os guardiões da palavra de Deus, os apóstolos e seus sucessores, o magistério da Igreja, e os que estão encomunho com ela,  è evidente a mulher deu a luz o filho de Deus. Ela estar revestida do sol que é Cristo, vc não consegue ver e direcionar os seus olhos fixos ao sol, mas vc consegue ver todo o brilho da lua que recebe toda a luz do próprio sol, que é Cristo, você ver o brilho da luz de Cristo revestido na sua mãe que é Maria. ela manda as graças de Deus a terra, pois assim como  o sol que ilumina a terra, Deus não para de mandar chuvas de graças, Maria é como a lua, não sendo a própria luz, mas ela estar revestida desta luz que é Deus  nos ilumina e nos leva como uma boa mãe ao encontro do filho. 


Apocalipse 12
1. Apareceu em seguida um grande sinal no céu: uma Mulher revestida do sol, a lua debaixo dos seus pés e na cabeça uma coroa de doze estrelas.
2. Estava grávida e gritava de dores, sentindo as angústias de dar à luz.
3. Depois apareceu outro sinal no céu: um grande Dragão vermelho, com sete cabeças e dez chifres, e nas cabeças sete coroas.
4. Varria com sua cauda uma terça parte das estrelas do céu, e as atirou à terra. Esse Dragão deteve-se diante da Mulher que estava para dar à luz, a fim de que, quando ela desse à luz, lhe devorasse o filho.
5. Ela deu à luz um Filho, um menino, aquele que deve reger todas as nações pagãs com cetro de ferroMas seu Filho foi arrebatado para junto de Deus e do seu trono.

Gênesis 3
15. Porei ódio entre ti e a mulher, entre a tua descendência e a dela. Esta te ferirá a cabeça, e tu ferirás o calcanhar.”      

Quem é da descendência desta mulher? fica claro que não são os que com ódio a ela mostram serem descendestes da serpente que vomitam blasfêmia contra ela e seus descendentes. 

Maria é esta mulher resvestida de Deus. cheia de toda a graça a amada do pai.

Mas vc protestante pode dizer, a graça é favor imerecido, o homem recebe  o amor de Deus imerecidamente,o amor é assim ele ama sem ser dado algo em troca, o amor provem de Deus o amor agapé, um amor sem interesse.

Mas como todo amor merece receber e ser amado, Deus envia este amor, e até os demônios (anjos caídos ) receberam o amor de Deus,  este amor não foi mais dado por Deus a eles, pelo uso  da justiça, e sim também  pelo uso da mesericordia Divina, pois a condenação deles seriam pior e quanto mais Deus enviava o amor mais ódio eles sentiam, por rejeitar o próprio amor que é Deus, a recusa deles traz uma separação das eternas virtudes do amor, e como a bondade provem de Deus, estando os condenados na ausência total do seu criador, assim como a escuridão não existe, o que existe é a ausência de luz, o mau não existe é ausência total de Deus, logo o pecado é a ruptura da criatura criada perfeita indo para um suicídio que é separa-se da vida que é Deus. separados na ausência total da bondade, tanto os demônios no tempo da prova, quanto os homens no tempo da prova, ficam assim no reino  do ódio da eterna maldade no inferno, mesmo no inferno á o mais profundo e um maior sofrimento, e isto é medido pela quantidade do amor que se rejeitou de Deus, logo a graça, da mesma forma, podemos dizer que o amor que correspondemos com  Deus, o amor que mesmo não sendo a altura, o  quanto mais correspondemos com este amor gratuito mais próximo dele estamos e nisto ninguém correspondeu como Maria nem os Anjos.

Porem podemo dizer que um filho ama a sua  mãe sem ela merecer, ou o melhor é dizer que é justo e por merecimento que a sua mãe merece ser amada por ti, seja por ter te gerado, por ter lhe amamentado, educado, justamente todos diremos ela merece nosso carinho, dedicação respeito o nosso amor, mas Deus sendo eterno que não nasceu no tempo sempre existiu, no tempo nasceu como homem e por escolha dele se deu uma mãe no tempo, amou sua mãe no tempo e na eternidade antes dela existir ele a amou. Logo podemos dizer o amor de Jesus por Maria é por merecimento de um filho por sua mãe  e por imerecimento como Criatura que segundo as escrituras relata ela ser a mais perfeita criatura de Deus, que é o tabernáculo mais excelente, não construído por mãos humanas, mas por Deus para dela nascer o seu filho.

Sabendo que quanto mais amamos a Deus mais próximo dele estamos, e o quanto mais o amamos mais obedientes somos, nisto ninguém nenhuma criatura amou a Deus como Maria ninguém correspondeu ao amor de Deus como Maria, logo das criaturas feitas por Deus na maternidade a mãe sempre ama mais o seu filho, assim Maria foi com Deus filho, e este laço de Maria com Jesus é eterno, ele continua sendo homem ressuscitou e Maria eternamente sua mãe é, o amor de Maria por Jesus sempre foi um amor ágape sem troca um amor de mãe para com o filho, o amor de Jesus por Maria sempre foi ágape sem interesse, o amor dela foi incondicional  e perfeito, o dele por ela  foi e é divino.

Maria e Jesus a intimidade dos dois não se compara a nenhuma criatura feita por Deus em toda criação, não podemos medir e calcular e nem muito menos entender tao grande mistério, apenas os exemplos que ja conhecemos mas que nunca se compara com o infinito amor que ama Jesus sua mãe. O amor de Deus a Maria foi e é um amor correspondido, no céu ela é a mais próxima de Deus.

Portanto a graça é enviada até o dia da sua morte, quando o tempo da prova se encerra, se tu rejeitou a graça de Deus foi o amor dele que rejeitaste, pecaste contra o Espirito Santo e este pecado não tem perdão nem nesta vida nem na outra. 

Também é de saber que somos chamado por Deus a toda boa obra, mas recusarmos  fase-la mereceremos e iremos construir a nossa condenação,  mas Deus continua a enviar sua graça, sem esquecer de sua justiça, mas o merecimento de conquistar o céu é fazer a vontade do pai e deixar ser levado por ele para toda boa obra e ser moldado a santidade e nisto Maria o molde Deus, de onde ele gerou o santo dos santos, e aos cuidados dela não dos anjos mais de uma frágil criatura, que como serva em tudo foi submissa e como mãe em tudo fez por seu filho.

Portanto no caso de Maria, a graça foi algo mais que especial,  um amor da parte de Deus mais que imerecido e merecido.

Louvado seja! Conheça a nova encíclica de Francisco!

Laudato si, Povo Católico!!!
“Laudato si” – “Louvado seja” em português – é a primeira encíclica totalmente escrita pelo Papa Francisco (lembremos que a “Lumen Fidei” foi iniciada por Bento XVI) e como todos esperavam, fala sobre ecologia. Mas, se você acha que todo católico vai virar vegano e começar a abraçar árvores, pode aproveitar o tema ecológico e tirar o cavalo da chuva…
“Laudato si” é um dos documentos mais lúcidos e corajosos dos últimos tempos. Vai fundo no problema e propõe uma nova ecologia: a Ecologia Integral. Quer saber o que é isso? Então baixe o texto oficial da encíclica aqui e acompanhe a nossa exploração desse documento fantástico!
Sao Francicso
O o verso da figura acima é retirado do cântico de São Francisco que dá nome à encíclica. E aí já temos uma inovação: a origem do nome não foi o latim, mas o italiano. O santo de Assis foi a grande inspiração do documento (Papa Francisco não escolheu seu nome a toa) e ganhou menção especial com uma seção totalmente dedicada a ele. A outra característica importante da encíclica é que ela não é dedicada somente aos católicos, mas “a cada pessoa que habita neste planeta” (3).
A encíclica começa com citações de outros papas, e já no início, um discurso de Paulo VI tira a esperança dos abraçadores de árvores:
“…os progressos científicos mais extraordinários, as invenções técnicas mais assombrosas, o desenvolvimento econômico mais prodigioso, se não estiverem unidos a um progresso social e moral, voltam-se necessariamente contra o homem” (4)
- Paulo VI em discurso à FAO, em 1970
Essa é a tônica de todo o documento. O centro da encíclica é a nova ecologia proposta por Francisco: a “Ecologia Integral, que inclua claramente as dimensões humanas e sociais” (137). Esse, na verdade, sempre foi o cerne da luta ecológica da Igreja. O centro deve ser o humano e o meio-ambiente deve ser entendido como todo o contexto da realidade, seja ele natural ou produzido pelas mãos do homem. Mas nosso Papa aprofunda bastante a questão nos 6 capítulos do documento.
Aliás… a gente já sabe que um rascunho da encíclica vazou e começaram a falar malucamente em “Mãe Terra”, dizer que o Papa ia salvar as baleias, essas coisas… o povo achava que ia ser uma encíclica sobre gnomos. Pra essa galera, deixamos o vídeo abaixo.


Mas se você nunca viu gnomos e está mais interessando no que nosso argentino mais querido escreveu, vamos lá…

CAPÍTULO 1 – O QUE ESTÁ A ACONTECER EM NOSSA CASA (a tradução está meio ao jeitão de Portugal)
Esse capítulo faz um diagnóstico bastante preciso sobre as grandes questões a serem enfrentadas e, repare, sempre ressaltando as questões sociais envolvidas, sem se desviar de polêmicas.
As Mudanças Climáticas: aqui, Francisco afirma que elas são uma realidade global, cujos impactos inevitavelmente serão maiores entre os mais pobres, e faz uma denúncia corajosa: “Muitos daqueles que detêm mais recursos e poder econômico ou político parecem concentrar-se sobretudo em mascarar os problemas ou ocultar os seus sintomas, procurando apenas reduzir alguns impactos negativos de mudanças climáticas.” (26);
A Questão da Água: não é só a preocupação com a escassez, mas com a qualidade. Francisco lembra que muitas vidas são perdidas todos os anos por conta da contaminação provocada principalmente por grandes indústrias, e afirma que “o acesso à água potável e segura é um direito humano essencial, fundamental e universal, porque determina a sobrevivência das pessoas e, portanto é condição para o exercício dos outros direitos humanos.” (30);
A Preservação da Biodiversidade: coloca a perda da biodiversidade como consequência direta de uma intervenção humana a serviço apenas do dinheiro e consumo. E deixa claro que não se trata apenas de um conceito, ao atentar contra a diversidade, o homem também vai contra a beleza e perfeição da Criação de Deus;
A Dívida Ecológica: um dos grandes momentos da encíclica. O Papa denuncia corajosamente a “fraqueza das reações” falando principalmente dos países desenvolvidos, ávidos consumidores que já cometeram grandes crimes contra seus próprios ecossistemas, e que pressionam os países em desenvolvimento por recursos, enquanto discursam sobre preservação. Francisco sinaliza que “ao mesmo tempo cresce uma ecologia superficial ou aparente que consolida um certo torpor e uma alegre irresponsabilidade.” (59);
Laudato Si

CAPÍTULO 2 – O EVANGELHO DA CRIAÇÃO
Papa Francisco apresenta as bases bíblicas da visão ecológica da Igreja, lembrando que o fato de sermos feitos à imagem e semelhança de Deus não quer dizer que sejamos donos do universo e possamos avacalhar toda a Criação. E explica a nossa inclinação para isso: “a existência humana se baseia em três relações fundamentais estreitamente coligadas: a relação com Deus, com o próximo e com a terra. Segundo a Bíblia, essas três relações vitais romperam-se não só exteriormente, mas também dentro de nós. Essa ruptura é o pecado” (66).
Mas se engana quem pensa que, falando essas coisas, Francisco está colocando o homem apenas como mais uma parte da Criação. O documento deixa clara a diferença de valor do ser humano e sua missão de “cultivar e guardar o jardim do mundo” (67).

CAPÍTULO 3 – A RAIZ HUMANA DA CRISE ECOLÓGICA
Este capítulo é uma crítica ao mundo tecnocrata. A tecnologia avança, e o que o homem faz com isso? Produz mais, consome mais, explora mais… e isso não se traduz em qualidade de vida. Ao contrário, provoca uma cultura do descarte, do imediatismo, que dá origem à muitas das mazelas que vemos hoje, como o abandono de idosos, tráfico e aborto. A aposta da sociedade deve sempre ser nas pessoas: “renunciar a investir nas pessoas para se obter maior receita imediata é um péssimo negócio para a sociedade” (128).
Repare que aqui a crítica é muito mais voltada para o meio social em que as pessoas vivem. Isso faz parte do conceito de “Ecologia Integral”, que será aprofundado no próximo capítulo.

CAPÍTULO 4 – UMA ECOLOGIA INTEGRAL
Esse é o centro da novidade que o Papa Francisco deseja que a Igreja traga à discussão ecológica. Nesse capítulo a “Ecologia Integral” é definida como uma ecologia “que integre o lugar específico que o ser humano ocupa neste mundo e as suas relações com a realidade que o circunda” (15).  Ou seja, não se trata apenas de natureza, mas do homem, inserido em toda a realidade.
Francisco vai além neste conceito e fala de uma Ecologia das Instituições, chamando atenção para como a sociedade se organiza para garantir que todos tenham condições dignas para viver.
“Se tudo está relacionado, também o estado de saúde das instituições de uma sociedade tem consequencias no ambiente e na qualidade de vida humana: ‘toda a lesão da solidariedade e da amizade cívica provoca danos ambientais'” (142).
Papa Francisco – Laudato si
E, aprofundando mais ainda o conceito, Francisco chega ao nosso cotidiano e à nossa própria relação com a realidade que nos cerca.  Afirma que precisamos entender que nós mesmos somos feitos por Deus para podermos entender a Criação como Dom e não como posse.
“A aceitação do próprio corpo como dom de Deus é necessária para acolher e aceitar o mundo inteiro como dom do Pai e casa comum; pelo contrário, uma lógica de domínio sobre o próprio corpo transforma-se numa lógica, por vezes sutil, de domínio sobre a criação”
Papa Francisco – Laudato si

CAPÍTULO 5 – ALGUMAS LINHAS DE ORIENTAÇÃO E AÇÃO
Esse é o momento “tiro, porrada e bomba” da encíclica! Depois de um grande diagnóstico e aprofundamento das causas do problema ecológico, Francisco propõe ação. E bate muito forte na forma de discussão atual, que gera muito falatório e pouca efetividade.
“As Cimeiras (reuniões) mundiais sobre o meio ambiente dos últimos anos não corresponderam às expectativas, porque não alcançaram, por falta de decisão política, acordos ambientais globais realmente significativos e eficazes” (166)
Papa Francisco – Laudato si
Mas o capítulo não é apenas uma crítica à “alegre irresponsabilidade” da comunidade internacional. A encíclica deixa claro que estes assuntos não devem ser deixados à mercê dos interesses de mercado e propõe um “acordo sobre os regimes de governança para toda a gama dos chamados bens comuns globais” (174). E apela para a pressão do povo e instituições sobre os governos, já que tantas mudanças precisam de um processo longo e claramente não poderiam ser feitas no tempo de um mandato. Deve ser o objetivo de um povo e não de um político.
Mesmo assim, Francisco chama os políticos à responsabilidade e à sair da lógica da eficiência e do imediatismo. Praticamente um chamado à conversão…
“Para um político, assumir estas responsabilidades com os custos que implicam não corresponde à lógica eficientista e imediatista atual da economia e da política, mas, se ele tiver a coragem de o fazer, poderá novamente reconhecer a dignidade que Deus lhe deu como pessoa e deixará, depois da sua passagem por esta história, um testemunho de generosa responsabilidade.”
Papa Francisco – Laudato si
Mas Francisco não pára! Utilizando todo o seu conhecimento sul-americano, critica duramente os “esquemas” utilizados hoje em dia para “garantir” que os projetos respeitem o meio-ambiente.
“A previsão do impacto ambiental dos empreendimento e projetos requer processos políticos transparentes e sujeitos a diálogo, enquanto a corrupção, que esconde o verdadeiro impacto ambiental dum projeto em troca de favores, frequentemente leva a acordos ambíguos que fogem ao dever de informar e a um debate profundo”
Papa Francisco – Laudato si
E como se a sapatada não fosse suficiente, lembra que a discussão sobre a ecologia não pode ser pensada apenas como tema científico e ideológico, lembrando a todos que “a realidade é superior à ideia”.

CAPITULO 6 – EDUCAÇÃO E ESPIRITUALIDADE ECOLÓGICAS
Neste último capítulo, todos são convidados à uma “Conversão Ecológica”, que faça com que nos empenhemos na solução não apenas de questões relativas à natureza, mas principalmente às que se relacionam com o homem e sua qualidade de vida. Além disso, deixa claro qual é o caminho a ser seguido: a educação através da “escola, família, meios de comunicação e catequese” (213).
E, por último, chama a cada um de nós a contribuir com a sua parte. Não por uma questão ideológica, mas entendendo que cada pequeno passo faz parte de uma grande conversão, a exemplo do que nos ensinava Santa Teresinha, porque “uma ecologia integral é feita também de simples gestos cotidianos, pelos quais quebramos a lógica da violência, da exploração e do egoísmo” (230).

FINALIZANDO…
Ao final, Francisco pede que coloquemos todo esse “mundo ferido” nas mãos de Nossa Senhora e sugere que incluamos esta nova dimensão da “Ecologia Integral” ao nosso exame de consciência. A encíclica, que começa com o Cântico do Irmão Sol,  termina com duas orações. Uma para para os que creem em Deus e outra para os Cristãos, conservando o caráter universal do documento.
Enfim, Povo Católico, o Papa nos pede agora uma nova conversão e tem a inteligência de falar de ecologia envolvendo tudo o que tem a ver com o ser humano e não apenas a questão da natureza, como todos costumam olhar. Tem a coragem de dizer claramente que todos os países continuam enxugando gelo por questões econômicas e de chamar atenção para os impactos que isso traz aos mais pobres.
E mais uma vez, a Igreja se coloca como ponto de lucidez e coragem, em meio a imensa bagunça de interesses e ideologias mundanas.
Laudato Si

sexta-feira, 12 de junho de 2015

Como me tornei católico e deixei o protestantismo

Ex protestante Erick Augusto
Ef 4,5 – Um só Senhor, uma só fé, um só batismo.
       Graça e paz da parte de Jesus Cristo nosso Senhor!
       Sou Érick Augusto Gomes e gostaria de partilhar com todos vocês como sucederam os acontecimentos que culminaram em minha conversão a Igreja Católica. Todo processo de mudança é duro e na maioria das vezes difícil, porém, se cremos e confiamos que é o Cristo que nos dá o dom da vida e nos preenche com a sua sabedoria, temos a certeza que tudo coopera para o bem daqueles que amam a Deus (Rm 8,28).
    E é esse Deus que trabalhou em minha vida de diversas formas e todas elas contribuíram para que eu chegasse a Igreja do Senhor.
     Costumo dizer que “nasci Cristão”: me converti ainda no seio da minha família e fui batizado na Igreja de São João Batista em Jundiaí/SP já que meus pais, embora desconhecendo a própria fé, iniciaram-me na Igreja Católica. Minha mãe costuma dizer-me que quando eu era criança e ela levava-me ao centro da cidade, era normal que chorasse. Eu era muito pequeno, porém, a única forma que fizesse com que eu parasse, era entrar no Mosteiro de São Bento. Ali, dizia ela, meus olhos inocentes olhavam para todos os lados do templo, para todos os vitrais, todas as imagens e assim, eu me acalmava. Depois de muitos anos, verdadeiramente eu iria entender o que esse sinal seria em minha vida.
     Até os meus sete anos de idade, cresci dentro da Igreja católica. Meus pais eram assíduos nas missas, porém, em 1996 por influencia de uma vizinha, minha mãe passou a frequentar uma comunidade chamada “quadrangular” e embora meu pai inicialmente tivesse repudiado a ideia, depois de algum tempo, passou a frequentar e assim, “converteu-se” e dessa forma, eu, como criança, passei a ingressar dentro da comunidade protestante. Minha infância foi vivida dentro das “igrejas evangélicas”. Apesar da Quadrangular ser a primeira comunidade que meus pais passaram a frequentar, um ano após o descobrimento da “nova fé”, os mesmos foram para o CCC (Centro comunitário Cristão) e por fim a Igreja Presbiteriana do Brasil. Quando digo que nasci cristão, é porque de fato, desde o início da minha vida aprendi a amar, adorar e entender o mistério da gloriosa salvação de Jesus Cristo através de sua piedosa cruz. Embora, não me desse conta que o fator da verdadeira Igreja fosse primordial para que entendesse a história cristã, sendo assim, cresci repudiando tudo aquilo que pensava ser o catolicismo, pois, as pessoas que convivia foram ensinadas a não gostar da fé cristã católica.Dentro da Igreja Presbiteriana, era um membro ativo: participava do grupo dos jovens, ia a encontros presbiteriais e participava do ministério de louvor da Igreja. Estudava a Bíblia, admirava Calvino e a todo custo tentava converter aqueles que não participavam da mesma fé que a minha. Mesmo sendo muito novo, eu já possuía uma opinião própria, de fato, eu tinha aversão ao catolicismo. Suas imagens e a devoção a Virgem faziam com que eu anunciasse sua idolatria.
     Em 2005 tive a oportunidade do primeiro emprego. Na época, foi o primeiro auge da minha vida profissional e pessoal. Estava na igreja, tinha comunhão com a fé “verdadeira” e ainda por cima desfrutava do primeiro trabalho. Com 16 anos, entrei em uma empresa que fabricava portas — era um serviço de carpintaria. Um trabalho digno, afinal, era o mesmo ofício de Nosso Senhor.
    Lembro-me do primeiro dia no emprego novo e da minha felicidade em saber que praticamente todos os trabalhadores dali eram protestantes. Fiquei muito feliz porque ali seria um local de aprendizado e crescimento na fé, porém, eu nem imaginava que essa convivência afetaria drasticamente a minha opinião e me tiraria da minha zona de conforto. Eu era presbiteriano, logo, tradicionalista, isto é, tinha problemas com pentecostais. Tinha certeza daquilo que acreditava, mas, isso nem sempre era igual ao que os outros pensavam.
     No meu setor trabalhavam dois membros da congregação cristã do Brasil, quatro assembleianos, um adventista, dois batistas e outros dois que frequentavam uma comunidade chamada “fogo divino” e um testemunha de Jeová e ali, no meio de tantas denominações diferentes, passei a me confrontar com alguns problemas ao ponto dos assembleianos pensarem que a Presbiteriana era uma seita por acreditar na predestinação e por batizar crianças. Confesso que, ao deparar-me com tantas crenças diferentes, passei a ter certa dor de cabeça já que nem sempre falávamos a mesma coisa. Os “assembleianos” e o pessoal do “fogo divino” defendiam a oração em línguas, mas tanto eu quando os batistas diziam que se não houvesse a devida interpretação, não poderia se falar o amém. Os congregacionais e assembleianos diziam que para você ser “aceito” verdadeiramente, o crente deveria sem batizado no espírito santo, mas, o restante dizia que apenas ser batizado nas águas, com a fórmula necessária (Pai, filho e espírito Santo) era válido, contudo, os congregacionais afirmavam que o batismo deveria ser primeiro em nome de Jesus Cristo. O adventista vivia dizendo que não comia carne de porco porque o animal era impuro, que o sábado era o dia do Senhor e que depois da morte a alma “morria”, mas, o restante discordava da sua posição. Eu sempre dizia que o livre arbítrio não existia, apenas a livre agência, mas, a maioria pensava que a minha doutrina era errada, assim como sempre dizia que batizávamos crianças e os pentecostais achavam isso um absurdo, ou talvez por saber que os protestantes históricos batizam por aspersão e pensarem que a verdadeira conversão deveria ser concretizada de corpo inteiro dentro das águas. Isso ainda somava-se a crença do testemunha de Jeová em dizer que Jesus Cristo não era Deus.
      Tinha dias que os assembleianos mais rígidos com relações a vestimentas, diziam que as outras assembleias mais liberais erravam por permitirem mulheres de calças. Outro fator que era motivo de “contenda” era o fato de que batistas e presbiterianos não possuem um culto avivado e isso era um dos grandes questionamentos dos pentecostais em sempre perguntar se de fato o espírito santo ali habitava. Grandes dúvidas também surgiam pelas questões históricas em que envolvem a maçonaria junto da Igreja Presbiteriana no Brasil. De qualquer forma, vários são os exemplos das mais diversas divisões protestantes e eu posso dizer claramente que tive o “prazer” de verificar uma a uma em um curto prazo de dois anos.
       Contudo, essa série de desavenças, fez com que despertasse em mim um desejo de aprender sobre a religião que tanto criticava: O Catolicismo Romano. Embora não suportasse suas doutrinas (mesmo não as conhecendo), resolvi amolecer meu coração e entender ou pouco dessa que era a profissão de fé mais estranha aos meus olhos. Ainda me lembro de que na época, busquei o máximo de informações que queria. Foi quando, através de uma comunidade do Orkut, descobri um ambiente de católicos que defendiam sua fé. Em um primeiro momento, não suportei uma série de argumentos que muitos ali utilizavam, sendo assim, iniciei vários debates, porém, conforme lia cada texto postado, ia descobrindo que havia alguma coisa errada com a concepção que eu tinha de cristianismo. No geral, eu tinha dúvidas sobre o uso de imagens, a intercessão dos santos ou porque a Igreja tinha tanto amor por Maria. Inicialmente, colhi o que conseguia através das redes sociais, porém, conforme o interesse crescia, tive o desejo e a curiosidade de presenciar uma missa. E eu fui, no segredo. Assim como os cristãos primitivos não podiam expor sua crença no Cristo, assim, eu me sentia ao buscá-lo dentro da Missa que é a nossa maior oração. Confesso que a primeira impressão foi maravilhosa. Sinceramente, eu desconhecia a fé católica, porém, ao ouvir o sacerdote saudar a assembleia com “Que a paz de Nosso Senhor Jesus Cristo esteja com todos”, toda a imagem preconceituosa que tinha a respeito da ritualística romana, caíram por terra ao estar na Igreja verdadeiramente pela “primeira vez” (embora enquanto criança meus pais estivessem dentro do catolicismo, à mudança aconteceu muito cedo e as lembranças eram inexistentes).
      Depois que estive a primeira vez em uma Missa, tive vontade de ir muitas outras vezes e conforme as frequentava, tinha um desejo maior te estar lá! Era algo totalmente estranho de se entender, pois, mesmo não assimilando uma fé tão nova que brotava no meu coração, sentia uma sede de estar ali a cada dia mais! De qualquer forma, as coisas não foram tão simples como parecem ao escrever esse texto.
       Entre os 16 e 18 anos, me dividi entre os cultos protestantes e as missas. As sextas estava na Igreja matriz da minha cidade e aos domingos na presbiteriana. Durante esses dois anos, ocultei aquilo que estava aprendendo. E nesse tempo passei a entender o que a Igreja ensinava sobre o uso das imagens sacras e por que os santos tinham sua representatividade na vida do ensinamento cristão! Eu amava aprender sobre eles e ler suas grandes conquistas através da fé em Cristo. Passei a ver neles exemplos de conduta, martírio pela fé e pelo reino de Jesus. Quanto mais lia sobre os antigos padres, quanto mais lia sobre a tradição da Igreja, me encantava por tantos e tantos testemunhos que guiaram a Igreja Católica até os dias de hoje. Não conseguia ver isso nas comunidades protestantes, alias, não via história. Via apenas um início e projetava um fim.
       Ao passar do tempo, minha vontade intensificou-se de tal forma que aos poucos, passei a abandonar a minha antiga fé. Foram momentos difíceis, alguns membros da presbiteriana sabendo da “causa”, passaram a me questionar sobre aquilo que estava frequentando, a questão é que era tarde de mais. Eu já estava envolvido pela Igreja que hoje tanto amo. De qualquer forma, ainda ia aos encontros protestantes. Um desses últimos encontros, fez com que refletisse sobre todo o fundamento protestante que eu já havia deixado para trás. Era um domingo de manhã, dia internacional da mulher, oito de Março de 2009. Um dos diáconos havia preparado uma homenagem para as mulheres da igreja. Lembro que fiquei apreensivo naquela manhã, pois ele havia dito que passaria por todas as mulheres das sagradas escrituras enumerando seus exemplos e assim, exaltaria a mulher presbiteriana. Naquela manhã, o diácono presbiteriano falou de quase todas as servas de Deus, porém, esqueceu-se de uma, esqueceu-se da principal. Aquilo foi um baque para mim. Lembro-me que tinha em minha memória as claras palavras de Maria no evangelho de Lucas: “Pois eis que desde agora todas as gerações me chamarão bem-aventurada (Lc 1,48)”. Naquele momento eu me perguntei qual o motivo de esquecerem a Mãe de Deus? Por que se esqueceram de Maria? Se todas as gerações a proclamariam, por que eu, como protestante, não fazia isso? Por que eles não faziam isso? Naquele momento, eu percebi que havia algo de errado com a “geração de Lutero”. Se, profeticamente, a geração de Maria esmagaria a cabeça da serpente (Gn 3,15), me perguntei: a qual geração pertence a este povo? A qual geração eu pertenço? Naquele dia, eu decidi me afastar definitivamente do protestantismo e embora posteriormente tivesse ido a alguns outros encontros, passei a me dedicar a Igreja Católica que possuía como centro Jesus Cristo e a certeza disso encontrava-se no mistério do sacramento da eucaristia que a tanto me encantava por sua pureza. As palavras de Paulo aos Coríntios agora faziam sentido em minha vida, ninguém pode comer indignamente o Corpo do Senhor acreditando em um mero simbolismo. Consumir sua carne erroneamente o torna responsável pela sua própria condenação (I Cor 11,29), pois, é realmente o seu corpo que ali se faz presente por nós (Jo 6,55).
      Pois bem, entre os 18 e 19 anos, conheci outra parte da Igreja que não sabia. As comunidades orientais. Confesso que muito me chamou a atenção a fé peculiar dessas Igrejas. Aprendi muito com eles, porém, a minha certeza estava enraizada no ocidente, na fé católica
      Entre os 20 e 23 anos, continuei a estudar a Igreja, porém, embora já fosse um católico de coração, não possuía coragem de assumir minha fé publicamente pelo meu histórico familiar. Demorei muito tempo para que de fato eu divulgasse a minha fé em Cristo dentro da Igreja Católica, porém, embora tenha sido esse tempo longo, ele chegaria.
     Iniciei o ano de 2012 como um “católico covarde”, embora já soubesse o que queria, não tinha a iniciativa de tomar a frente e declarar a minha fé. Entretanto, Deus nunca me abandonou e em todo esse tempo, continuou me mostrando o caminho e derramando a sua graça e misericórdia sobre as minhas ações e em uma época que eu já estava desacreditado da minha própria coragem, o Pai colocou em meu caminho uma verdadeira mulher chamada Rafaela, sendo ela a responsável por me ajudar assumir aquilo que havia nascido em meu coração desde 2005. Nosso Senhor foi tão bondoso comigo, que me concedeu a fé em sua Cruz e Ressurreição através da Igreja e a Rafaela que é o meu exemplo de amor a Cristo. Em agosto de 2012, com 24 anos comecei o meu processo para ser recebido oficialmente na Igreja Católica. Depois de um ano de orações e estudos junto de muitos irmãos, no dia 30 de abril de 2013, tive a benção de ser crismado e com a graça de Cristo Jesus, ser participante de seu corpo junto de sua Igreja!
      O caminho foi longo e tortuoso; contudo, foi necessário para que se fosse entendido os verdadeiros mistérios da fé cristã. Se tivesse que escrever todos os fatos que sucederam a minha vinda a fé católica, não caberiam aqui, porém, sei que as palavras aqui depositadas serão de grande valia para aqueles que desejam conhecer profundamente a Igreja fundada por Nosso Senhor.
       Atualmente, tenho trabalhado na Paróquia Sagrado Coração de Jesus em Louveira/SP como catequista de adultos e escrevo artigos em defesa da fé para o blog “Apologética Cristã Católica”.
      Desejo que a Virgem interceda pela vida de cada pessoa que lê essas palavras para que possam encontrar o verdadeiro caminho do Cristo que se revela em sua Igreja. Agradeço a minha Rafa por me amar e me ajudar a assumir a minha identidade e te adoro e te louvo Jesus Cristo pelo dom da vida e por permitir que sua fé continue sendo transmitida através dos séculos pela sua una e Santa Igreja, na qual professa uma única fé e um único batismo (Ef 4,5).
      Com amor em Jesus;
      Autor:  Érick Augusto Gomes
      Fonte: comshalom.org

quarta-feira, 3 de junho de 2015

A Graça que nos foi dada





Vamos tentar entender um pouco sobre  a graça para entender que ela não se trata apenas de um favor imerecido,   favor amoroso ou dom gratuito de Deus.  veremos que a graça é o próprio Deus que se dar a ser experimentado, Sendo a maior graça o próprio Cristo. a graça ela é dada gratuitamente mas só é eficaz ao seu fim, aos que não colocaram obstáculos a ação da graça, são aqueles que são doces as propósitos divinos, são levados a santidade e são salvos. a graça nos é dada sem merecimento  da lei e suas obras, porem no caminho estreito da salvação que é Cristo, são os obedientes a Deus que se salvam.

Em toda as escrituras, veremos que não existe outra criatura tão cheio da graça como Nossa Senhora, e que as atribuições feitas nas sagradas escrituras em  ela estar cheia da graça, são atribuições que também são feitas ao próprio messias que é Deus. então entre as criaturas esta afirmação é feita apenas a Maria, já que só Deus é Divino e fonte de toda a graça, e Maria a unica que estar cheia dela.


São João, 1. 14. E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, e vimos sua glória, a glória que o Filho único recebe do seu Pai, cheio de graça e de verdade.


Tu és bondoso e perdoador, Senhor, rico em graça para com todos os que te invocam. Salmos 86:5


O menino crescia e se fortalecia, enchendo-se de sabedoria; e a graça de Deus estava sobre ele. 
Lucas 2:40

Ele zomba dos zombadores,
mas concede graça aos humildes. 
Provérbios 3:34

Jesus ia crescendo em sabedoria, estatura e graça diante de Deus e dos homens. 
Lucas 2:52

Nestes versículos, não podemos traduzir, que a graça é favor imerecido ou que cristo recebeu a graça sem merecer, pois ele é a própria graça. Então a graça não quer dizer apenas favor imerecido pois depende do contexto da pessoa e do tipo de graça, o  porque da graça recebida. Pois á tipos de graça e muitas delas é por merecimento. Ninguém vai ao inferno sem merecer, mas o que difere aqueles que merecem o céu dos que não.  Veja quando aceitamos a Cristo nós nos  tornamos merecedor:  do que ? da própria graça. Veja a fé é uma graça, e a traves dela conquistamos merecimentos, mas vc pode perguntar como: vejamos ela nos dar á possibilidade de fazer a vontade de Deus, POIS SEM FÉ É IMPOSSÍVEL AGRADÁ-LO. Então a fé nos dar força a fazer a vontade do nosso senhor, mas se sou rebelde, sou semelhante ao diabo que também crê e estremece. mas vc pode dizer que a salvação é gratuita e que sem o merecimento somos batizamos recebendo a  graça que nos chama a santidade.  porem durante a travecia  do caminho da vida, são os que se deixam serem levados por Deus, que são dignos e escolhidos e isto é por terem criado méritos por ter feito a vontade de Deus a qual a graça os chamou, por isto vem o merecimento de receber a coroa da vida.  já os que rejeitam a graça permanecendo no pecado, merecem o fogo eterno, por ter resistido a ação do espírito santo, que os chamava a santidade, que os chamava a permanecer no amor de Cristo, que os chamava  para toda boa obra. Por isto por merecimento recebe cada um segundo a justiça de Deus.

Assim como estar escrito em  São Mateus, 25- 31 a 46,  que aqueles que fizeram as boas obras ao próximo com amor, fizeram ao próprio Cristo. quando  Deus dará ordem aos anjos para separar aqueles  que quando ele necessitou, quando esteve nu, preso, com fome, com sede e o  ajudou, são aqueles que fizeram aos pequenos de Cristo. Mas os que dizem que tem fé em Deus e fizeram o contrario disto, deles é o fogo do inferno junto com o diabo e seus anjos.


Veja: A graça  ninguém foi mas cheia dela do que Maria, mas cheio da graça do que ela só Deus que é a própria fonte e essência. Não vemos  outro personagem bíblico cheio da graça como Maria. como já disse anteriormente esta afirmação de estar cheio da graça é dito também a respeito do messias, que é o próprio Senhor, mas entre as criaturas as escrituras narra apenas Maria.

Veja: Maria é apenas uma Criatura e em nada se compara a Deus nem no mínimo átomo. Mas entre as criaturas que Deus criou nem profetas, anjos e santos, estão cheios da graça como ela, nenhuma criatura estar tão próximo de Deus como Maria, ninguém teve no próprio ventre gerando o próprio Deus. ninguém foi a verdadeira arca da aliança como Maria. Nem o próprio universo pode suportar o tamanho e a grandeza de Deus, mas ele coube na pequena e humilde  criatura de nome Maria. E pelo seu infinito poder olhou para terra e a ninguém viu mas digna do que ela. Deus que na sua gloria não tem para mas a onde subir pois a maior gloria é a sua, desceu e se fez carne como nós, entrou por uma porta que é Maria. Veja nada pode caber a grandeza de Deus só ele é divino, mas ele por completo se instalou em Maria, por isto não a outra criatura que é dita cheia da graça. Então me diga a outra coisa maior que Deus, a outra coisa melhor do que Deus, a outra graça maior que Deus, não claro que não, mas Deus  fez-se tão pequeno ao ponto de ser amamentado por sua mãe, e aos cuidado de uma mãe deixou-se ser amado e cuidado. Por 30 anos Jesus menino, rapaz, adulto aos cuidados da sua mãe esteve isto é uma historia familiar, Jesus com sua mãe que antes do mundo ser formado, já a conhecia. Já antes de Adão cair, ele viu sua mãe nascer, pois ele é Deus, e já  a ela amou antes do mundo ser formado.

Quando o Anjo se apresentou a  Maria, vemos que é a primeira vez que um anjo faz uma saudação de inclinação ou de reverência, pois tanto a palavra Salve ou Ave, exprime os mesmos significados, a palavra Ave era  usada para referenciar os imperadores, reis e  autoridades da época. tanto uma como outra  são palavras que exprimem respeito como  reverencia. pois o Anjo vendo em Maria a mãe do seu próprio senhor, fez com humildade a saudação Ave (Salve)  cheia de graça; o Senhor é convosco, bendita sois vós entre as mulheres".


A graça gratuitamente é nos dada, e no uso do livre arbítrio a rejeitamos, no mesmo modo  no uso do livre arbítrio deixamos ser levados por ela. em um dos casos somos salvos em outro somos condenados. já que é pelo livre arbítrio e no uso da razão, da inteligência que usamos a nossa vontade para fazer a vontade de Deus, é nisto que estar o merecimento de ir para o céu, ou para o inferno. Portanto sem merecimento somos chamados e convidados para o reinos dos céus. mas é por merecimento que somos salvos, não que por si só podemos fazer a vontade do pai, mas porque  deixarmos  ser levados pela ação da graça para toda boa obra que vem de Deus, permanecendo assim no amor de Cristo a qual todos foram chamados.

Não que  com isto, muitos pecadores estão condenado, não. Pois devemos lembrar que a misericórdia de Deus é infinita e que sua justiça é do mesmo tamanho  e julgará cada um segundo suas obras. sabe-se que muitos pecam na ignorância  e Deus aproveita-se no que eles conhecem sobre a verdade para os levar para a catolicidade de sua Igreja. para que sejam salvos e tudo isto é pela ação da graça. só Deus para julgar cada um segundo suas obras, cada um deve fazer um exame de consciência para se reconciliar com Deus. vejamos mas versículos  sobre a graça.


Efésios, 1. 4 e nos escolheu nele antes da criação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis, diante de seus olhos.

Todos recebemos da sua plenitude, graça sobre graça. 
João 1:16

Assim, aproximemo-nos do trono da graça com toda a confiança, a fim de recebermos misericórdia e encontrarmos graça que nos ajude no momento da necessidade. 
Hebreus 4:16







Certo dia um protestante para tenta diminuir como já é de costume, para tenta diminuir as qualidades que a palavra de Deus exprime sobre nossa senhora, resumiu de uma  forma maldosa e tendenciosa que a graça de Deus em relação a saudação do anjo para Maria em ela estar cheia da graça  se resumi apenas ao imerecimento do favor Divino. Mas veremos que a palavra Graça não exprime uma palavra em partícula mas sim uma palavra nova de varias verdades que se relacionam  ao amor divino, que por se tratar de algo tão grande e particular de Deus, poucas palavra são insuficientes para falar deste mistério.



Veja podemos dizer que a graça, exprime tudo que vem da parte de Deus, sua misericórdia, justiça, seu amor, a graça é o céu na terra. Em relação a Maria a palavra de Deus diz  "Ave Maria, cheia de graça; o Senhor é convosco, bendita sois vós entre as mulheres".  Não poderia se resumir ao favor imerecido e depois o anjo dizer bem aventurada sós vos entre as mulheres, não existe uma palavra no hebraico que possa  se encaixar perfeitamente para  esta manifestação do amor Divino, alias não existe esta palavra no hebraico, quando no velho testamento é dito que Noé encontrou graça diante de Deus, os tradutores usaram esta palavra por ela se encaixar perfeitamente a esta realidade, pois no original a tradução seria simpatia, preocupação, zelo que embora que se  combinem a tradução que  Noé encontrou simpatia aos olhos de Deus. Esta tradução não condiz com a total realidade que implica esta revelação, compreendendo o que significa a graça de Deus, entenderá o porque. Para que  e assim tenha sentido a tradução da palavra ao seu sentido original do autor divino, podemos dizer que ele encontrou zelo diante de Deus, mais estar claro que não exprime no total o que  realmente significa esta palavra, simplesmente por ela ser usada nos evangelhos em relação a muitas verdades como a santificação, a misericórdia, a obediência, os dons do espírito santo, na própria graça de Deus  que mantem o homem na inclinação para as coisas do alto.  Sobre esta Graça o anjo diz que Maria estar cheia. E não se encontra em nenhuma das escrituras outra criatura que teve estas atribuições. é como se as criaturas as receberam com medida isto é que o pecado os impediu de receber a graça sem medida. Mas Maria por algum modo dos favores divinos recebeu esta graça abundantemente pois ela é a única a ser chamada pela palavra de Deus cheia da graça, isto estar claro que é por ela nascer sem pecado, pelos méritos infinitos de Cristo, para Cristo nascer sem o pecado, pois o pecado é transmitido pelo gênero humano, e assim Maria foi salva por Deus  por causa de Cristo pois a condição humana que é dos nascido de mulher, e esta condição por vontade de Deus Pai Jesus receberia da parte de Maria. assim para não contaminar o  fruto  que é Cristo Maria nasceu sem pecado.

Veja no hebraico não existe a palavra Graça, e sim no latim e no grego,  mesmo embora que a Graça é um dom de Deus, gratuito, sem merecimento, a tradução de favor imerecido não exprime fielmente tudo que significa esta palavra, pois ela significa alem disto varias atribuições que vem e são do próprio Deus. É muito difícil traduzir com precisão palavra em hebraico, pois muitas das palavra contem vários significados, por isto a palavra Graça nasceu para expressar melhor o original hebraico, exemplos no velho testamento. Ex 3,21: “Darei a este povo a boa Graça dos egípcios” Ex 11,3: “O Senhor fez com que o povo encontrasse graça” Pr 1,9: “Formoso diadema, diadema de Graça”. No texto original em hebraico é utilizado para expressar formoso e graça a palavra HEM que são utilizadas para as duas palavras, isto foi utilizado para transmitir a idéia de uma coroa (diadema) que causa admiração por sua beleza. (sempre é bom lembrar o valor da beleza no plano da salvação, pois a beleza, aquela que não é purpurina, conduz ao Senhor de toda beleza).

Sb, 3,9: “(…) pois Graça e misericórdia são para seus santos”. {nesta afirmação Bíblica, a palavra HEN, traduzida por Graça, tem o sentido de favor}. Para entender melhor sobre como foi  e quem foi e como se deu a introdução da palavra Graça leia sobre a Tradução dos Setenta aqui. E para ficar ainda mas nítido o significado da Graça é importante ver como e quando ela é  usada nas escrituras. Assim ficar evidente que ela é usada tanta para falar dos favores divinos, como características do próprio Deus, como ela estar relacionada a bondade divina, e a obediência dos seus servos, a sua misericórdia e bonde, a sua justiça ao seu amor. Vemos quanto maior foi  o pecado, maior foi a graça de Deus que concedeu o perdão, vemos que quanto maior a obediência maior é a graça e sua eficacia na santificação do homem, e é  a obediência que nos matem em estado de graça. fomos chamados a sermos santos e vemos que é a graça que nos matem em santidade, e  é em estar no estado de graça que se pode entra no Reino dos Céus. a qual sem a obediência e santidade  ninguém verá a Deus, isto estar claro que para permanecer na graça, para permanecer no amor de Cristo, para ser salvo devemos fazer a vontade do pai, pois nem todos que dizem senhor serão salvos. Mas sim todo aquele que faz todo a vontade do pai que estar no céu, assim vemos que pela desobediência em aceitar a fazer e viver no pecado, somos separados da gloria de Deus, e pela graça somos chamados a obediência, a contrição ao arrependimento,  e por causa dela podemos permanecer nesta obediência que é viver no amor, permanecer do amor de Jesus. isto não nos dar o direito de pecar, e sim a possibilidade  de se reconciliar com Deus.

Veremos como as escrituras se expressa em relação a Graça, podemos observar como ela é cheia de significados. exemplos nas escrituras: Ex 34,6-7 Deus de ternura e piedade, lento para a cólera, rico em graça e fidelidade. Veja características atribuídas a Deus, rico em graça, saiba que Deus é a própria graça que se dar a espirimentar, vemos que o anjo atribui a Maria em estar cheio da graça pois esta graça vem da parte de Deus e é o proprio Deus.  Assim a graça não exprime apenas um sentindo ou qualidade única, mais muitas qualidades e sentidos que a bíblia a relaciona, a graça de Deus manifesta a sua aliança com o homem. como também  podemos dizer que a graça traz consigo a vida intima do grande mistério da Santa Trindade. Gratuitamente o homem  foi criado para estar em plena comunhão com Deus, o homem foi criado para amar a Deus e ser eternamente feliz pois Deus é a própria felicidade, o homem perdeu esta comunhão por livre escolha e vontade, não podemos por nós mesmo restabelecer a esta amizade perdida com Deus. Ela só pode ser restabelecida por um ato livre da vontade divina. por isto e  assim o verbo encarnou, a onde o pecado abundou, assim a Graça sobre abundou e o  próprio céu desceu, a maior graça que o mundo recebeu foi Jesus, e esta Graça desceu no ventre de Maria, não foi sem razão que o anjo diz que Maria estar cheia da graça. Os santos a Igreja os venera e nos dar seus exemplos porque eles não colocaram obstáculos a ação da graça foram dóceis ao dom de Deus: neles evidencia  o modelo de uma  alma humana quando não coloca resistência a ação  do Espírito Santo, quando a graça os chama a fazer a vontade do pai, os santos são exemplo de pessoas que se colocam inteiramente ao desígnios de Deus, fazendo com que a graça os leva para o caminho reto e santificação, são pessoas que são dóceis ação divina, se tornando verdadeiro amigos do altíssimo restabelecendo assim a comunhão que foi uma vez perdida pela desobediência, se tornando assim da família de Deus, a que todos são chamados. Outra coisa não é senão o fruto pleno da graça, que no seu desenvolvimento harmônico alicerça as grandes virtudes cristãs.


Assim podemos ver  que a graça, é o próprio Cristo, o próprio Deus, pois Deus é a própria bondade, Deus não faz nada mau, tudo que Deus criou é bom, assim em Gêneses diz e viu Deus que era bom, Deus é a própria felicidade, a essência de toda bondade, assim ninguém fará algo realmente de bom  sem ser da parte de Deus, por isto todas as boas obras vem da parte de Deus e é a graça que dar a possibilidade do homem se inclinar a fazer todo a boa obra, a fé é uma graça que sem a qual é impossível agradar a Deus. o evangelho que alimenta a fé. os dons é ação  da graça  é o céu agindo, Deus agindo, desta forma resistir a ação da graça é resistir ao próprio Deus, assim a verdadeira graça que nos é dada é o próprio Deus. O homem que resistir a ação da graça se  torna impossível de agradá-lo, perdendo assim sua salvação por livre escolha e vontade. Assim quando o anjo diz que Maria estar  cheia da graça é o mesmo de dizer de estar cheia de Deus, não é por acaso que ele diz o senhor é contigo. A Graça é ação do amor divino, o anjo diz que Maria estar cheia dela. das muitas graças que Deus nos enviou ao mundo salvar  a Igreja é uma delas a Igreja é corpo de Cristo, logo a Igreja também é Graça de Deus que colocou no mundo ela é  a noiva limpa e adornada e fiel ao seu esposo, agiu docilmente a ação da graça, sendo uma luz no mundo para iluminar os que estão em trevas, é o sal do mundo instrumento de salvação, sendo assim uma graça física e espiritual de Deus vivo de Deus verdadeiro.  a Graça manifesta em uma só palavra tudo isto e  muitas outras coisas, e o que é relevante dizer é que ela não é apenas aquela palavra que o herege quis afirma para diminuir a pessoa de Maria, pois Cristo a imagem física de Deus, Jesus é Deus conosco, Jesus é o próprio céu, ele desceu do céu e se fez carne no ventre de Maria, gerado pelo Espírito Santo,veja o próprio Deus dentro de Maria,  o próprio céu dentro de Maria, quem pode atribuir  as qualidades divinas, todas as palavras são pequenas para exprimir tão grande realidade, e entre todas as palavras as escrituras diz que a palavra é  a graça, e que Maria estar cheia dela, assim o anjo diz Cheia da graça,  pois quem teve Deus por completo dentro do seu ser, Deus filho dentro de Maria, Espírito Santo gerando o filho, a sombra do altíssimo sobre Maria, a Santa Trindade o próprio céu em Maria, digo não só o anjo como todo os Católicos e obedientes a Deus Maria é cheia da graça o senhor é convosco bendita sois vos entre as mulheres, e repito também bendito seu fruto do vosso ventre que é Jesus. Santa Maria mãe de Deus, que o sim a Deus pai falou, e o céu cantou de alegria, nascerá para o mundo o salvador, das graças de Deus para o mundo maior que à. Da mais perfeita e humilde das criaturas Deus filho dela nasceu para assim o mundo salvar.

A graça de Deus é um mistério, que a conciencia humana e os bem aventurados passaram toda a eternidade para contemplara, agora recebemos a graça sob medidada, uma vez salvos no ceu, não se poderá medir, nesta vida  podemos perguntar o que é  e como é receber esta graça de Deus sem medida, que Deus agora não importando agravidade dos nossos pecados, mesmo grande sendo o pecado, maior é a graça de Deus, pois se nescesçario foce passaria pelo céu, á suber abundante a superar todos os pecados do mundo, e assim foi na plenitude dos tempos, como uma prova de amor veio como ela é ao infinito, ao ponto de Deus filho morrer por nós na Cruz tornando a reparação dos nossos pecados, se pocivel foce seria perdoado ao infinito, mas a maldade do homem não é  maior do que o amor de Deus,  pois maior é a graça de Deus que os pecados do mumndo todo. tendo como a unica barreira do  homem receber esta graça, é o suicidio do pecador em regeitar a graça de Deus até a morte.

Santa Maria, é a Nossa Senhora das Graças, que  das muitas graças que Deus tem enviado, Nossa Senhora é a porta segura por onde se passa todas as graças de Deus, pois a maior graça que nos veio passou por estar porta Jesus Cristo nosso Senhor.